Seguidores

quinta-feira, 29 de novembro de 2012

Comissões de (In)justiça: Vitória da PGR, derrota do MPU, derrota do Brasil!



Imagem via Google/Imagens

Alguém consegue imaginar algum tipo de “modernização” no serviço público ou algum planejamento estratégico que desconsidere a importância do fator pessoal?
Pois ontem tive certeza de algo que já desconfiava: Para a administração do MPU, modernização e planejamento estratégico, não tem nada a ver com valorização dos servidores, com reestruturação das carreiras.
Vi com meus próprios olhos um representante da administração convencendo parlamentares na Câmara e no Senado a descartarem a proposta de emenda que viabilizaria recursos para reestruturação das carreiras do MPU, em troca de aprovarem outra emenda que destinaria recursos à “modernização” do MPF (planejamento estratégico, construção e ampliação de sedes, p.e.).
Fiquei me perguntando qual o sentido de se construir mais sedes, fazer reuniões, bancar viagens, publicar informativos... se não houver pessoal?
O MPU tem registrado uma evasão superior a 30% de seus quadros, nesse ritmo...
Bem, pra viajar sempre acharão alguém...
Mas quem vai trabalhar nas novas sedes, participar das reuniões, ler os informativos? De quê adianta ter estratégia se não há quem a cumpra?
A PGR, por sua ação no Congresso Nacional, deu um tiro no pé, no próprio e no do Estado Brasileiro. Ao abrir mão da possibilidade de, via emenda, reconstituir a integralidade de seu próprio orçamento, (em troca de uma migalha!) a administração superior do MPU atuou contra o esforço que servidores e membros, a partir do sindicato e de suas associações, respectivamente, tem feito em defesa da autonomia institucional, jogou contra a defesa que tem sido feita da importância de um MPU forte , priorizou a burocracia e a vaidade de alguns membros e servidores em detrimento do verdadeiro espírito institucional, aliou-se ao Governo, que tem sido seu algoz em relação a autonomia orçamentária e a política de pessoal, em troca de pequenos “favores” orçamentários.
A administração do MPU trabalhou contra o Brasil, pois ajudou na tática de sucateamento do órgão. Deu-me náuseas ao ver um certo representante da PGR com um sorriso de canto de boca comemorando aquela “vitória”.
Foi um dia triste, tanto mais porque vi um parlamento de joelhos negando a própria independência ao acatar, sem sequer discutir, as ordens do Executivo. Os deputados e senadores que compõem as CCJ’s (Comissões de Constituição e Justiça) do Congresso Nacional simplesmente ignoraram os compromissos que muitos deles assumiram com os servidores do MPU e com o povo brasileiro de quem devem ser representantes e esconderam-se, salvo raríssimas exceções, sequer comparecendo às sessões que definiram as emendas de cada uma das comissões.
A patética cena da sessão da CCJC do Senado com a presença tão somente do presidente da comissão e do relator da resolução que indicou as emendas daquele colegiado, falando para um amontoado de assessores (inclusive da PGR) num simulacro de apreciação, fez rondar-me uma imensa descrença na própria democracia brasileira...
Porém, não me permito abater pelo revés dessa batalha. Afasto a descrença, enxugo as lágrimas desta alma cidadã e mais uma vez coloco-me ao lado de guerreiros e guerreiras que não desistem da luta e que continuam buscando encontrar, também no Congresso Nacional, forças que se aliem a nós e nos ajudem salvar o Ministério Público da União, importantíssimo instrumento de defesa dos direitos do povo brasileiro da destruição.
Para que a injustiça não prevaleça, continuaremos na luta!

14 comentários:

  1. É por essas e por outras que sou a favor de termos nosso próprio partido político, do contrário, permaneceremos meros pedintes!

    Jeremias - MPT/PA

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. www.pspb.org.br neles JÁ!

      Lincoln

      Excluir
  2. Desculpe-me Anderson, mas enquanto continuarmos sozinhos lutando pela importância do órgão os membros continuarão nos tratando como menos que servidores e mais como massa de manobra acéfala para quem quiser usufruir dela.

    ResponderExcluir
  3. É cara......orçamento para aquisição de Iphone's e tablet's (com plano 3G) para membros há, diárias altissímas também.......

    ResponderExcluir
  4. Será que o PGR não tem "rabo preso" com o Governo? CPI do Cachoeira? Sei não hein...

    ResponderExcluir
  5. Pelo visto teremos no MPU prédios caros e vistosos e repletos de mão de obra estagiária.

    ResponderExcluir
  6. Até quando vamos ficar pagandopau para procuradores? Já ouvi alguns servidores dizendo que nós trabalhamos para eles, que o Mpu funciona para eles. Não! Mpu serve o povo e nós também. Conheço muitos que tem medo de procurador. Eles tem tudo, nós temos nada.

    ResponderExcluir
  7. Esse negócio de comprar Iphone, tablet, etc é só para agradar procurador e ganhar uma funçãozinha. Enquanto isso somos esquecidos.

    ResponderExcluir
  8. Discordo parcialmente do Anônimo 7:31. Os servidores do MPU trabalham sim para os Procuradores, alguns, inclusive, fazem O trabalho DOS Procuradores. E o reconhecimento? Só quando o Servidor erra.

    ResponderExcluir
  9. Anderson, entendo o seu desabado. Entretanto, tenha certeza de que os políticos e a própria administração não vai ligar para nós. A solução só virá se representarmos o BRASIL na OIT por descumprimento sistemático de sua legislação, notadamente pela falta da revisão geral anual preconizada pela Constituição Federal e também pela não efetividade do acordo firmado com o Brasil por ocasião da assinatura e promulgação da Resolução 151, a qual o Brasil pretende usar para engessar o direito de greve no setor público, e não para facilitar. Ou denunciamos isso para que o Brasil sinta VERGONHA do que faz e responda efetivamente na Justiça Internacional ou não vamos chegar a lugar algum. Pelo menos enquanto o país estiver sob a tutela da atual mandatária do Poder Executivo.

    ResponderExcluir
  10. Dê o nome deste representante da administração !!! Precisamos saber quem faz este tipo de coisa contra toda a categoria.
    Não adianta tentar esconder esta informação, todos temos que saber; não é hora de pudores políticos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Caro colega,

      Optamos por não colocar o nome pra não dar instrumento ao inimigo.
      Mais ainda, o que vimos não foi uma ação personalizada, foi a ação de um servidor obedecendo (com claro prazer) a ordem da Administração. Na verdade o nome tem pouca importância, o que precisa ser denunciado é a ação.

      Excluir
  11. Na Coordenadoria da qual faço parte vários colegas saíram recentemente. Outros estão para ser nomeados em outros órgãos. Restarão poucos. Estou prevendo o dia em que o Procurador da República cuidará da Administração (Telefonia, manutenção predial, contratos, compras, etc), da Informática, do Transporte e quem sabe até do Jurídico como um todo. Servidores não mais restarão na casa. Será o fim do MPU? O fim da Democracia? Ou o fim do mundo?

    ResponderExcluir
  12. Anderson,

    O seu discurso é muito bonito. Sério mesmo: é bonito ao extremo. Concordo na íntegra!

    POR ISSO MESMO, eu só quero entender: por que você é do PT??!!!????? Exatamente do PT???????????????? Do grande autor de tudo isso!!!!????!!!!????

    POR QUÊ??? POR QUÊ??? POR QUÊ??? POR QUÊ??? POR QUÊ???

    POR QUÊ, BATMAN???

    ResponderExcluir